terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Viver não Dói - Carlos Drummnond de Andrade

Por que teimamos tanto em sofrer por Amor? 
O Amor é para ser experimentado nos poros, 
intensificado dentro de nós.
Amor é  tudo que nos faz respirar, 
nos faz levitar de desejos 
nos faz viver em plenitude
Amor é tudo aquilo que revoluciona 
a mente, espírito e coração. 


Definitivo, como tudo o que é simples. 
Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram. 

Por que sofremos tanto por amor? O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável, um tempo feliz. 

Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos, por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos. Por todos os beijos cancelados, pela eternidade. 

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar.  Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender. 

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.
Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar. 

Como aliviar a dor do que não foi vivido?  A resposta é simples como um verso: Se iludindo menos e vivendo mais!!!  A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.
  
A dor é inevitável. O sofrimento é opcional. 

7 comentários:

Suzana Martins disse...

Ontem o dia doeu em mim, porém hoje decidi rasgar a dor, esquecer os problemas e viver. Lembrei de Drummond e agora, nessa manhã você o traz para mim?? Não! Viver não dói!
POr mais que os dias arranhe o meu sorriso, não sinto a dor de perder um dia inteiro lamentando.
Obrigada pelo abraço que vc me deu nessa manhã!!
Beijos minha linda!!^^

Tatiana Kielberman disse...

Querida Sil,

Você sabe que sou verdadeira fã de Drummond, e esse texto dele está especialmente liiiiindo!

Sempre procuro repetir o mantra "dor inevitável e sofrimento opcional" para mim, ainda que às vezes não dê certo!

Desistir nunca... tentar sempre!

Beijos, com muito carinho!

RosaMaria disse...

Sil Querida!

Ninguém nos prometeu que viver seria fácil...

Mas vale muito a pena, tudo tudo, até as dores chatas =/

Mário Quintana falou certa vez:

"Quem nunca quis morrer.
Não sabe o que é viver
Não sabe que viver é abrir uma janela
Ah
Viver é sair de repente
E voar...e voar...
cada vez para mais alto"


Olha Dona Sil
A senhorita me deixa toda timida ao ler seus comentários ;)

Você é muito especial. Saiba disso!

Beijos
Fica com Deus

Guará Matos disse...

A dor vinda da frustração é uma bosta! Nos sentimos derrotados mesmos, então precisamos de reação imediata!

bjs.

Max Psycho disse...

Viver é foda morre é impossivel, mas continuamos sobrevivendo coma graça de Deus, bjus gata

ROSANA VENTURA disse...

Sou apaixonada por este texto de Drummond!
bjossss

Única e Exclusiva disse...

Veio a calhar com oq estou passando. O não arriscar, não viver pelo medo da dor, da perda, do futuro. Enfim, é inevitável!

Beijos amada,