sexta-feira, 18 de março de 2011











CIRANDEIRO
Autor: João Maria Ludugero

Há uma fogueira no meu peito
Há uma Várzea acesa dentro dele
Há um coração em dia
De festa na rua grande
Há folguedos e bandeirolas coloridas
E a gente nem se preocupa em arriscar
Marcando o passo de ciranda em ciranda,
Até lá no rastapé, no relabucho
Da rua do arame, a gente faz o mundo
Girar à beça, e rodopia, sem pressa
Ensaia cantigas de roda de encantar. 
E ao dançar, a gente contente dança
E aprende a dar rasteira na tristeza,
Espanta os males, canta a reza,
Inventa bolas de qualquer coisa
O importante é jogar por jogar.
A criançada ainda aposta em brincar
De cabra-cega, de pique-esconde
De pimentinhas a pular cordas,
De teco-teco nas bolas-de-gude,
De corridas-de-saco, sem perder as bilocas,
De corridas-de-jegue, sem pensar nas agruras
Da vida que escorre por entre nossos dedos
Ao volver com a mão essa água salobra
Que derrama doçura na salada mista
De inocentes beijos, fazendo a cabeça da gente 
Seguir mais leve mente, ao encher o peito de paz
De uma paz que de tão autêntica não tem nome,
Que só existe nesse lugar, tão enorme que só sentindo.
Então por que não vir aqui cirandar?

8 comentários:

Tatiana Kielberman disse...

Olá João!

Grande poema, senti até vontade de cirandar!!

Beijos, parabéns pela estréia!

João Ludugero disse...

Prezada Tatiana, Bom dia!!!!
Obrigado, querida! Visite meu blog. Se gostar, me siga. Será um prazer. Deixe lá seus comentários, suas críticas. Tenha um ótimo final de semana, com alegria e saúde! Hiper abraço. Até mais. Muito bom te conhecer!!!

18 de março de 2011 11:56

Sil Villas-Boas disse...

Boa tarde João.

Já chegou chegando em grande estilo no nosso Jardim. Seja BEM VINDO.
Adorei seu poema. Maravilhoso.
Bjusss e bom fim de semana.
Sil

João Ludugero disse...

Muito Obrigado, Querida SIL!

Uma tarde muito boa pra vc também!
Realmente seu site tem muito perfume. Tem cheiro em plenitude, tanto que se expande e atinge não só os arredores, as entrelinhas dos poemas e textos, extravasa a alma da gente. Que coisa boa é sentir esse aroma, as cores se jogam nos olhos da gente e a vida fica bem mais bonita, com um gosto
de sorriso. Adorei este Blog. Mais uma vez obrigado, amiga, estarei aqui para somar um pouco mais com meus textos modestos, que parecem ter cheiro de flor, como vc disse. E, certamente acrescentarão mais cor e amar-elos nesse Jardim dos Girassóis. Hiper abraço. Adoro seus comentários! Me incentivam a mais escrevinhar... Até mais!Ótimo fds! João.

18 de março de 2011 12:32

paulo disse...

...vamos todos cirandar...

The Well disse...

Blz! Chegando mais um para reforçar o sotaque.

Parabéns a ambos!

Fernanda disse...

Ciranda da boa essa!

Gostaria de saber se a dona do blog e o autor do poema permitem que eu poste no meu blog. Bjssss

João Ludugero disse...

Cara Fernanda,
Boa tarde!
Que bom que gostou do meu poema (CIRANDEIRO). Por gentileza, visite o ww.ludugero.blogspot.com, lá você poderá copiá-lo e, é claro, publicá-lo no seu site, bem assim, poderá ter mão de outros que gostar, só te peço para me destinar os devidos créditos autorais. Desde logo, lhe desejo uma ótima semana! Muitas alegrias e saúde. Hiper abraço.
João Maria Ludugero.