terça-feira, 26 de abril de 2011

A canção da morte

Por: Paulo Diesel


Cantaram
a canção da morte,
entrando em parafuso,
sentando nos nós da corda
que apodrecia em meio
às madeiras do cais,
cheio de navios
com porões
de escravos negros, brancos, escravos.
Morreram podres, escravos
dos navios que aportaram no cais
com madeiras amarradas à cordas
parafusadas à canção.


A morte canta a sua...

10 comentários:

Sil Villas-Boas disse...

Bom dia Paulo

Parabéns pela escolha deste poema, pura expressão da dor e sofrimento dos escravos.

Bjusss
Sil

RosaMaria disse...

Bom dia Paulo! Bom dia Sil!

Sou super fã dos posts do Paulo, não posso negar isso.

Sempre com um algo a mais, sempre um que de reflexão.;

Parabéns meu amigo.

beijos

Aleatoriamente disse...

Nossa que poema!
Bem intenso e bonito na sua essência.
Paulo, parabéns por ele.
Amei tua visita.

Beijinho
Fernanda

ROSANA VENTURA disse...

Lindo demais o poema.
Triste, mas lindoooooooooo!
bjos

Tatiana Kielberman disse...

Triste, mas extremamente necessário e verdadeiro!

Beijos, Paulo querido!!

Ana Fonseca disse...

É um tema sem dúvida intrigante muitos tentam fugir mais ela está ali para uns adormecida e a outros presa ao pescoço. Nos preparamos sempre para a chegada de um novo integrante na família e nunca nos preparamos para sua partida.

Lembramos muito do sofrimento e dor dos escravos que sequer tiveram a opção de escolha.

Poema belo e ao mesmo tempo com um tom de nostalgia.

Paulo voce nos surpreende a cada novo post.

Agora sempre farei uma visita a qui neste jardim!

Bjuss!

Fernanda disse...

E até hoje a humanidade continua a aprisionar, torturar e matar pessoas através desse feitor chamado preconceito.

Única e Exclusiva disse...

Falar da morte é necessário e sádio. O que dói é não compreensão do fato.

Visto no poema realidade contida na História que construiu um futuro... curso natural da vida!

Bjs meus

The Well disse...

'Senhor Deus dos desgraçados! Dizei-me Vós, Senhor Deus! Se é loucura, se é verdade tanto horror perante os céus!'

Vlw o tema. Vlw o poema.
Bonito na forma e no conteúdo!

Abs!

Aleatoriamente disse...

Paulo meu lindo, obrigada pela passada lá em "casa".
Amei.
Vindo te desejar um final de semana maravilhoso.

Beijinho.
Fernanda