segunda-feira, 4 de abril de 2011

Pretensão

Autor: The Well


O motociclista (é assim que são chamados os que guiam com responsabilidade) vinha pilotando sua moto com toda segurança. Afinal sempre andava equipado e conhecia bem o trajeto: estava voltando para casa. Vinha a uma velocidade tranquila, pagando mentalmente suas contas mas atento às incertezas da estrada. Foi quando sentiu um baque em seu capacete, que em nada o afetou ou a sua moto, que aliás era da empresa em que trabalhava. Apenas por curiosidade olhou pelo retrovisor a tempo de ver um pequeno passarinho, uma rolinha, talvez, cambalear no ar e cair na vala radial à pista.
Seu primeiro impulso foi continuar sua viagem. Afinal era um mero passarinho comum. Se fosse ao menos uma arara azul... pensou. Mas, sem mesmo saber porque, deu meia-volta e parou a motocicleta junto à pequena ave. Acreditou-a morta e já se preparava para retomar seu caminho quando o passarinho estremeceu as asas. O homem então não pensou duas vezes. Desceu da máquina, tomou a ave em suas mãos, acolheu-a com cuidado no bolso da jaqueta e partiu. Levou o pássaro até um amigo  estudante de veterinária, que estranhou o inusitado do fato mas, ao ver o real consternamento do motociclista, decidiu se empenhar na recuperação do bicho, até porque ele logo viu que a avezinha estava desmaiada mais do susto que do impacto. O homem então agradeceu e deixou algum dinheiro com o amigo para comprar linimento, alpiste e uma gaiola confortável, até que o passarinho se recuperasse.


Assim foi feito. O formando colocou talas nas asas danificadas da ave e acomodou-a o melhor que pode numa gaiola. No entanto achou melhor alimentar seu 'paciente', inicialmente, com miolo de pão e água, e aos poucos deixar que ele recuperasse as forças. O pobre passarinho somente foi despertar no dia seguinte, inda zonzo da pancada. Qual não foi seu espanto ao notar-se engaiolado e tendo por alimento apenas pão e água. Foi quando põs as asas, ainda com talas, na cabeça e, na língua típica das aves canoras e não-canoras, exclamou em alto e bom tom: 

P&%@ Q$& #@RIU!! MATEI O MOTOQUEIRO!!!

Bom, e aqui digo o que penso. O pretensioso enxerga o mundo com as lentes distorcidas do seu ego!

9 comentários:

Tatiana Kielberman disse...

Uau!!

Isso não é um texto.. Aliás, eu o chamaria de tapa na cara!

Posso te dar um? Rsrsrs... melhor não, corre o risco de você achar que me matou!

Brincadeiras à parte, um show de lição, sobre a qual todos nós deveríamos pensar ao menos uma vez por dia.

"Narciso acha feio o que não é espelho..."

E, nesse caso, o 'cara' mereceu mesmo ser chamado de motociclista e não de outra coisa!

Perfeito, querido!!

Beijos!

paulo disse...

Risos e risos e lições...
Belo texto

Sil Villas-Boas disse...

Well, Well, Well

Que bela e grata surpresa ler teus escritos no nosso Jardim dos Girassóis. Você soube mesmo me deixar em suspense com a sua estréia aqui no Blog. Esperava encontrar tuas palavras só na quarta-feira, como você mesmo escolheu. Mas fiquei feliz por esta antecipação. Obrigada.
E quanto ao texto, estás de parabéns. Suas crônicas são sempre maravilhosas, num estilo gostoso e suave de se ler e de viajar nas palavras. Amei too much.
Bjusss e Xêros alados.
Sil

Proesas disse...

Pra você ver que susto o passarinho teve, engraçado matou o motoqueiro, por isso estava preso.
Estou rindo ate agora. risos kkkkkkk
huiii matei o motoqueiro. boa

Janaina Cruz disse...

Inteligentíssimo texto!

Nossa eu nunca consegui ver passarinhos em gaiolas, quando pequena soltava todos os pássaros da casa de minhas tias, claro que sempre apanhei por causa disso, mas nada pagava a emoção de vê-los tentando voar livremente...rs

Abraços e ótima semana pra ti.

Max Psycho disse...

Eu já conhecia mas sempre vale a pena rir de novo

The Well disse...

Taty K, bate q eu gosto! rs
Vlw, Paulo!
Tamo na área, Sil!
Amandio, rapaz, q surpresa boa!
Janaína(s), realmente acho maldade engaiolar o passarinho. Bom mesmo é criar o bicho solto! rs
Grande Max! É velha mais é boa!

Xêro no mulheril e abs no macharal!

Fernanda disse...

Eu na maior atenção antevendo a saída triunfal do passarinho da gaiola, curado e feliz...rsrsrs.

Muito bom!

Proesas disse...

O passarinho com suas penas negras e brilhantes ao ver que não matou o motoca,sacudiu-se e olhou para ele disse - presta mais a atenção caramba! Eu poderia ter te matado!
Bom dia a todos!