segunda-feira, 30 de maio de 2011

Inverno.....

Por: Sil Villas-Boas


Nas horas frias, em que as manhãs 
se vestem em roupas sem cores
Subo as escadas do sótão da casa, 
E passeio em telhados cobertos de gelo. 
Das gotas de gelo que respiram no teu olhar.

Nem o teu inverno,
Tua acidez,
Tua escuridão
Tua insensatez
Amargam-me as palavras. 

A minha língua, 
Agora, solta,
Saboreia os teus frios pensares
Sem se amendrontar.

Agora, os meus versos 
Travessos, acesos, inquietos
Chegam de mansinho para me aquecer


De todos os invernos....

6 comentários:

Tatiana Kielberman disse...

Ah, querida Sil...

Há momentos mesmo, em meio a esse inverno, nos quais apenas resta a poesia para aquecer as entranhas...

Momentos em que o ser amado está longe e nossa opção é clamar por sua rápida presença, o quanto antes!!

Me aqueci com seu poema, como sempre...

Beijo carinhoso!

Poupée Amélie™ disse...

Estou precisando aquecer-me de mim, das minhas atitudes.
Ando fria, assim como uma manhã de inverno.
BeijO*

Guará Matos disse...

Deixa sua língua solta
Assim!
Ela achará o próprio encanto
Num canto de desejos.

Bjs.

João Ludugero disse...

Sil,
Só te adianto uma coisa:
Tua poesia é uma pira perene a incendiar o inverno da alma.
E um coração latente assim, a pulsar, acende uma cidade inteira. Muito iluminada a tua poesia.
Digna de que traz no âmago o calor, a energia necessária a derreter e quebrar o gelo que vier, com a alma em ebulição.
Que bom que podemos ter esse dom de arder de amores em causa dele, o Amor! Lindo poema. Amei de paixão.
Bjs. João.
Tenhas uma ótima semana.
No mínimo, energizante a acender suas ideias e aquecer teu coração.

RosaMaria disse...

Não existe frio que resista aos carinhos e calor dos seus versos.

Boa semana Sil!
Muitos beijos pra ti.

Paulo disse...

Como sentir frio em meio a estes versos q nos deixam embriagados?
Impossível...