sábado, 20 de agosto de 2011

DE SOSLAIO, UM POEMA À PUTA VIDA!

Autor: João Ludugero

Ainda não beira o anoitecer,
Mas já estais lá a rodar tuas alças 
A mirar os passantes da corte, de soslaio,
Quando jogas teu corpo desnudo, de salto alto,
E a alma sem ti, de pano de fundo
Perpassa entre o cetim encarnado
E o meio-fio da rua
De uma esquina de bar
Entre vitrines, néons e o barulho dos carros
A derrapar nas curvas sinuosas
pelas vias de paralelepípedos,
Só para espreitar tuas perfumadas tetas.
E lá estais a carregar teus fardos,
A rodar a bolsa ao pulso de desafiar a sorte
E nem sabes mais que cor teriam teus sonhos,
Posto que varas madrugadas a dentro, 
Sem mais notares que ainda há uma lua no céu
Quando submissa, triste e solitária
Retornas a ti, após tentares vender amor,
E recebes a paga, em troca,
Após teres sido possuída por um 'solidário'
Que teu rosto beija como a uma estátua.  
Abraça-te a nudez e simplesmente
Feito um cachorro no cio te lambe toda até o sapato,
De frente e verso, a fundo te ama, abusa,
Te faz de gata e o diabo a quatro por dois ou mais,  
Te usa e lambuza, e até reclamas de consolo
Ao te acusar de que poderias ser menos santa,   
Depois vai embora sem olhar pra trás!

6 comentários:

Sil Villas-Boas disse...

Que poema arretado de bom, rsrsr
Bjusss
Sil

Rabisco disse...

Muito bonito o teu poema e muito bem ilustrado por esta obra da Joana Vasconcelos.

Bjs

http://www.rabiscosincertossaltoemceuaberto.blogspot.com/

Cláudia Costa disse...

Lud...

Sempre uma densidade a mais te regem as letras. Teus escritos eu não leio, sinto!!
É um rodopio na existência dos versos e um prazer a parte na leitura que se degusta.

Amo muito tudo isso!

Anônimo disse...

Ler teus poemas, ó João Ludugero,é mesmo um presente,uma dádiva das melhores, pois tuas letras trazem um quê único, diferenciado, voltado para as coisas da vida, do amor, da própria existência como estado de impermanência... És um grande poeta! Acredite. Faz muito bem vir aqui pra te ler, pois tua candeia é mesmo de luz própria, alta, perene. Adoro sua poesia, mesmo as mais impactantes, como esta. Parabéns! É com alegria que venho ao Jardim dos Girassóis! Vocês são realmente um presente de Deus! Tenham uma ótima semana!
Abraço carinhoso,
Maria Esther Mendes,
Psicóloga - São Paulo - SP.
Até mais!

João Ludugero disse...

Gente, fico emocionado com palavras tão lindas e gratificantes. Obrigado de coração a todos que gostam dos meus textos. Eu só tenho a agradecer pela forma carinhosa reportada a mim. ESTOU MUITO FELIZ POR ESTÁ AQUI COM VOCÊS! Abraços. Uma ótima semana a todos! João Ludugero, poeta, eterno aprendiz de,

Anônimo disse...

Belíssimo poema!
Nota DEZ! Este blog está cada vez melhor. Amei de paixão esse poema da puta vida. Sensacional. Forte, belo e cruel. Coisas da vida como ela é. Nota dez ao poeta Ludugero. Muito bom! Voltarei para apreciar mais este blog maravilhoso!
Carlos Helder Morato,
São Gabriel da Cachoeira.