segunda-feira, 19 de setembro de 2011

As Palavras Acontecem - Reeditado

Por: Sil Villas-Boas

As palavras acontecem

Nas pequenas flores orvalhadas de saudades dos jardins.
Nos cantos mais inusitados de uma casa:
terraço, lareira, sótão, telhado e porão.

As palavras acontecem


No sorriso da criança sapeca
Nos olhos de sonhos do menino triste
Nas letras das mulheres-meninas poetas
Nas notas sem juízo de uma canção

Na copa das árvores frondosas
Nas luzes claras e vivas
do arco-íris e da estrela da madrugada.
Nos lençóis de algodão e nas colchas de retalhos liláses. 


A palavra voa nas asas dos anjos

guerreiros ou travessos.


As palavras acontecem
Na respiração ávida
De essências, sons
De chuvas
De vida


As  palavras acontecem
Nos Girassóis
 Num Girassol
Num girar-sol
No céu

12 comentários:

Menina no Sotão disse...

As palavras acontecem quando a gente respira fundo e faz silêncio. Acontece quando fechamos os olhos para ver dentro, estar dentro e se deixar ser folhas em branco sendo preenchida.
Eu adoro sons de chuva no telhado, na vidraça... Substância pura. rs

bacio

Max Psycho disse...

As palvras acontecem até num simples olhar silencioso

Olho no olho disse...

Oi Sil.
Nessa poesia eu percebi o desejo de ver um pássaro livre para voar com suas próprias asas e sair cantando pelos jardins de sua imaginação.
Parabéns e um abraço.

Luna Sanchez disse...

As palavras acontecem na medida do impossível e no limite do inimaginável.

Lindo texto, Sil, realmente lindo, Parabéns!

Beijo grande e uma semana caprichada pra ti!

;)

Sil Villas-Boas disse...

As palavras acontecem nas linhas sensíveis do coração de cada amigo que pousa aqui.
Obrigada Lunna, Max, Francisco e Luna.
Bjusss
Sil

Joakim Antonio disse...

Desse jeito elas sempre acontecerão de um modo lindo de se ver, como esse poema.

Beijos, uma linda vida e que as palavras sempre venham brincar com você!

Marcela disse...

Que beleza de poesia
que beleza de blog!
parabéns!

Sil Villas-Boas disse...

É maravilhoso vê-lo por aqui, Joakim. E que as palavras também sejam um constante brinquedo pra você.

Marcela.
Obrigada pela visita e pelos elogios. Seja sempre bem vinda aqui no nosso Jardim dos Girassóis.
Sil

Cláudia Costa disse...

Ahhh Sil...

E as palavras que encontramos por aqui são sempre tão encantadoras!!

Adoro suas letras, nosso espaço, essas palavras-pessoas que encontro por aqui.

Obrigada pelo carinho de me permitir fazer parte.

Bjks no coração

Sil Villas-Boas disse...

Cláudia

Eu que agradeço por você ser uma destas flores perfumadas que enfeitam nosso Jardim dos Girassóis. Afinal, você é um GIRASSOL cheio de brilho solar.
Bjusss
Sil

Sandra Cajado disse...

Engraçado que podemos sentir cada letra do poema direcionado ao nosso coração.

O sol que nasce para todos e nem todos tem o poder de contemplação por causa da escuridão que impedem os olhos de verem o quanto ele lindo.

Os orvalhos na derme...o cheiro das flores...Ah vida bela!

Ah vida de desencantos e encantos.

ôw vida que nos dá e nos tira.

Viver é uma arte e cada minuto é uma etapa para celebrarmos a vitória de mais um dia.

Há tanto o que se dizer...Mas o que eu queria mesmo era poder estar aí para te dar aquele abraço.

Amo vc!
Obrigada por existir.
Beijos

Tatiana Kielberman disse...

Sempre intenso... sempre vibrante... sempre você!!

Adoro suas palavras, Sil querida...

E, quando elas acontecem de ser expostas para o mundo lá fora, é porque as tínhamos dentro há um tempo!

Beijo grande!!