sábado, 24 de setembro de 2011

GOSTO DE MAÇÃ

 
Autor: João Ludugero

E lá vamos nós,
Voando, voando.
Eu colibri voo para ti,

Pouso na mais linda flor.
Me alimento de pétalas.
Frutifico encontros.
Floresço a girar sóis,

Arranjos encarnados de mim.
Desabrocho a
sas

Eu voo assim pleno
A beber a manhã
Que nua se levanta  
Ao céu aberto
Em toda tua boca ávida, 
Bem-me-querendo ser caça
A me perder por aí...
E vice-versando, de passagem,
Consentindo-me a ficar à-toa na vida.
Ao léu, ser assim maçã
Só pra sentir a doçura
Dos teus lábios carmim,
Apreendendo-me ao dente,
Ensinando-me a falar tua língua
Eu, Adão,
E tu, Eva!

6 comentários:

VeraBruxa disse...

Olá!
Lindo! Beber as manhãs primaveris e sorver a doçura do teu poema.
Abraço.

Sil Villas-Boas disse...

Realmente um belo post. Parabéns.
Bjus
Sil

RosaMaria disse...

Oi João!

Lindos versos para um domingo ensolarado.

Obrigada pelo seus gentis comentários.

Gosto muito deles.

Um beijo, ótimo domingo.

João Ludugero disse...

Queridas Vera, Sil, Rosa:
Boa tarde!!!
Muito obrigado pelo carinho de seus primorosos coments. Assim fico emocionado... E escrevo mais e mais! Pois isso tudo só me impulsiona a engenhar meus versos com afinco, especialmente sabendo que tenho vocês que me darão um retorno, com suas visões aguçadas dentro da poesia que escrevinho. ADORO vocês! Hiper domingo ensolarado, digo: Jardim/em/gira/ solarado! Beijos mil.

Chellot disse...

A doçura da maça envolvente em suas palavras. Um belo domingo pra ti.
Beijos doces.

João Ludugero disse...

Muito obrigado, Chellot, pelas doces palavras! Tenha uma semana esplêndida! Muita saúde e alegrias.
Abraços,
João.