sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Assim são as pessoas...


Jogando fora suas felicidades
A espera do que acreditam ser perfeito.
Sonham
Desejam com algo que não se tem
Sem ao mesmo dar valor ao que está tão próximo aos olhos


Se reparassem ao redor
Se observassem
Notariam o quanto são afortunadas e abençoadas

A felicidade sempre está por perto
Depende de cada um

A morte não é a maior perda da vida.
A maior perda da vida é o que morre dentro de nós enquanto vivemos.


Rosamaria Roma
twitter: @rosamariaroma

10 comentários:

RosaMaria disse...

Bom dia Sil.

Obrigada pelo convite, pela oportunidade, pela honra.

Um beijo grande!

Guará Matos disse...

Belo poema Rosa Maria!
Ou seria uma Rosa em Maria?
Ou Maria da Rosa?
Ah, Flor mulher!
Bjs.

Rosa Barros disse...

Felicidade é poder sentir a beleza, o encantamento e o elemento surpresa que há em tudo e em todos. O Divino está em tudo, não percamos tempo!
Xará, é tão bom ter o nosso nome, não é? rsrs
Muito bonito, menina Flor!!
Beijos

Sil Villas-Boas disse...

Boa tarde Rosita

A honra é toda minha em ter você aqui florindo imensamente o meu Jardim.
Teu poema de estréia é muito verdadeiro. Realmente a felicidade está bem perto da gente. Ela está dentro de nós.
Só nos basta enxergá-la
Bjusssss
Sil

RosaMaria disse...

Guará Matos e minha xará linda Rosa Barros.

Obrigada pelos comentários.

Adorei o Menina-flor.

Beijos!

Suzana Martins disse...

Uau, a linda e amada RosaMaria nesse cantinho especial?!!!

Adoraaay!!^^

A felicidade e a vontade de viver, viver leve e feliz!!

Beeeeeeeeeeijos

หคтнყ disse...

Isso com certeza é #fato.
Conheço várias pessoas que tem tudo o que quer, mas estão sempre reclamando da vida! Isso é triste.

Bju sil!

http://nathydorgas.blogspot.com/

T@ty disse...

Querida Rosa

Que texto intenso...

Como sempre suas palavras me norteiam e me dão conclusões tão buscadas.

Assim são as pessoas... aprendemos de tudo um pouco com elas e necessariamente deixamos um pouco de nós.

Parabéns!!!

Muito... BOM!

Beijos Querida

Cristian disse...

Oi Sil, oi Rosa.
Minhas queridas!
Estou gostando de criar comentando.. muito interessante isso!


Sobre o texto:



As pessoas tem
atitudes indigestas...
desprovidas de significado
ou não...

Atos e erros humanos.

Atos falhos, Atos contrários, contrariados,
atos inconscientes.
Atos sem sentido, inesperados, improváveis,
inconsequentes.

É a traição de si mesmo
e depois aos prantos,
depois arrancam os cabelos
por uma burrice, um idiotismo.
E 'somos' tantos.

O que mais se repudia nessas pessoas é o que há de mais humano nelas.

Ser humano, ser cego.

O erro ,
A violência e crueldade psicológica
parecem contemporâneas ao ser humano.
No espelho,
o errante nesta realidade sem lógica
uma miscelânea de atos insanos,
historicamente humanos, inteiramente humanas.
E o filósofo diz que é tudo
humano, demasiado humano.

A sociedade
repudia e sempre repudiou
tudo que é humano,
sempre negou e nega
aos instintos mais humanos.

E os humanos, demasiado humanos
se perguntam: Qual será meu próximo erro?
E que sejam muitos erros!

E os humanos, demasiado humanos
se perguntam: Qual será minha próxima insanidade?
E Que intensamente vivam.



Adoro isso aqui.
Bjks
Até mais.

Tatiana Kielberman disse...

Queridas!!

Rosamaria Roma no cantinho de Sil Villas-Boas é um luxo só!

Feliz demais por isso!

Amo as duas e as quero bem... demais!

Como sempre, um show de texto, Rosinha... suas palavras me influenciam muito, você nem tem idéia do quanto!

Que possamos estar vivos, por dentro e por fora, até o último suspiro!

Beijos no coração das duas!