quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

HERDEIRO DE PEDRAS, por João Maria Ludugero

 
 
 
 
HERDEIRO DE PEDRAS,
por João Maria Ludugero

No caminho da Várzea,
Havia um grande lajedo.
E ele se pintou de verde-musgo
Como uma singela pintura do tempo.

Triste de quem brumas herda 
E não vê lajedo algum;
E caminha, vaidoso e medonho,
Perdido entre legadas pedras…

Nenhum comentário: