quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

O DIA DA CAÇA, por João Maria Ludugero.


O DIA DA CAÇA, 
por João Maria Ludugero

O preá comeu o capim.
O preá o fojo prendeu.
No fojo a cobra caiu.
A cobra comeu o preá do fojo.
No fojo o homem meteu a mão
Em buscar do preá...
Mas em seu lugar estava a cobra
Com o preá no bucho.
De um bote só, a cobra mordeu o homem.
O homem morreu de cascavel em pulso, 
Vítima de sua própria armadilha. Escafedeu-se!
E onde foi enterrado nem capim nasceu!

Nenhum comentário: