quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

SAUDADES DA MINHA ESTRELA DALVA, por João Maria Ludugero

SAUDADES DA MINHA ESTRELA DALVA,
por João Maria Ludugero

E, vendo-a, ninguém sabia

Se ela, à noite, tão radiante,
Catava as estrelas 
Só pra nos iluminar pelo interior,
Ou se era ela ao tangente lusco-fusco
De sentinela que emprestava
Alvorecida sua estrela ao céu.

Nenhum comentário: