quarta-feira, 19 de março de 2014

O ETERNO AZUL INTERIOR DO CORAÇÃO, por João Maria Ludugero

 O ETERNO AZUL INTERIOR DO CORAÇÃO,

por João Maria Ludugero

Nós desatados,
Nunca estamos sóis,
Nem deveríamos temer
O nunca mais...
Porque somos eternos
No presente!
Porque o desprendimento
Nos faz pássaros entretidos
Voando dentro e alto,
Sem esquecer da ponte,
A animar o coração por dentro.
Eternamente
Na manjada mente
Do cosmos a contento,
A nos esbugalhar os nós



No firmamento!

Nenhum comentário: