quarta-feira, 12 de março de 2014

SÉRIE TERNA RECORDAÇÃO - MENINO VARZEANO LEVADO DA BRECA, por João Maria Ludugero

SÉRIE TERNA RECORDAÇÃO 
- MENINO VARZEANO LEVADO DA BRECA, 
por João Maria Ludugero

Eu sei, já faz um tempo,
que meus pés pisavam estradinhas de chão,
quase infinitas....um estirão de estrada!
Eram meus caminhos de Várzea ao Maracujá,
os percorri todos, cansado por vezes,
caminhos abertos, e sempre o sol,
o sol me guiando, meus passos azuis,
sempre azuis, seguindo as estradas nuas,
mas repletas de coisas simples para serem vistas.
e eu percorrendo todas, do rio Joca ao Vapor,
descalço, e o coração, cheio de tanto amor,
ansiava por mais estradas e sonhos.
E assim meus olhos brilhavam, ansiosos,
a alcançar todas as estradas do mundo,
pra mim, só pra mim....e por elas eu indo!
outros lugares, alguns encontros, alguns tudo,
e minha alma se enchendo de esperanças novas:
de estradas, de belezas, de sonhos acordados, de gente.
minha alma se enchendo, e meus pés de moleque percorrendo,
e minha alma se enchendo dos poemas que ainda iria/vou escrever.
quero rever tudo de novo, outra vez, contemplar tudo.
As saudades do que ainda iria ver...a vontade.
Careço trazer isso tudo aqui nas linhas da minha mão,
nos meus pés levados da breca...e nos meus olhos brilhantes.
Eu quero tudo, tudo outra vez, preciso de novos poemas,
e meus pés, de novas bermas,
de novas estradas pra me completar.

Nenhum comentário: