sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Cartas para Julieta

Por Rosamaria  Roma
Recebi um texto, do filme Cartas para Julieta.
Assisti esse filme, já faz uns meses, e fiquei bastante tocada por ele.
Quem assistiu sabe do que eu estou falando.
Quem não assistiu deveria assistir.
É muito bom, para se refletir sobre o que andamos fazendo do coração.

Um beijo grande pra todos!


Duas palavras tão inofensivas:

“E"
"SE"

Mas experimente colocá-las juntas, assim lado-a-lado.
E elas têm o poder de assombrá-las pelo resto da sua vida.
E se? E se? E se?...

Você só precisa ter coragem de seguir seu coração.

Não sei como é o amor como o de Julieta
Um amor pelo qual deixar entes queridos
Um amor pelo qual cruzar oceanos
Mas quero acreditar que...
Se um dia sentisse esse amor
Teria a coragem de agarrá-lo?

Twitter: @RosamariaRoma


8 comentários:

Sil Villas-Boas disse...

Bom dia Rosa
Sempre me encantando com seus textos. Este, especialmente, chega a me fazer refletir sobre o tema. Gostaria de encontrar um amor que me fizesse cruzar minhas fronteiras. Enquanto isso não acontece, cruzo minhas fronteiras através dos versos que tento exprimir neste meu Jardim.
Amei teu texto.
Bjusssss,
Sil

Um Blog com Meu Nome disse...

Lindo!
Eu queria ter a coragem de agarrar esse amor.

Bjs,
Tai

Um Blog com Meu Nome disse...

Esqueci um detalhe...
Silvana, lindo teu Jardim =)

Bjs

Sil Villas-Boas disse...

Obrigada amiga Um Blog com meu nome.
Obrigada por juntar-se a nós neste Jardim dos Girassóis.
Muitos Bjussss e bom fim de semana.
Sil

Tatiana Kielberman disse...

Querida Rosinha,

O "se", certamente, nos paralisa e muito diante das decisões...

Enquanto supomos e criamos hipóteses, o mundo lá fora continua girando (cada vez mais veloz)...

Porém, vale lembrar que nossas certezas não podem ser tão cegas a ponto de nos engessar!

O meio-termo costuma ser nosso grande e melhor amigo...

Beijos a você e à Sil!

The Well disse...

Às vezes é melhor deixar o navio passar, abandonar o porto e ir para o interior. Ainda há muita vida no interior...

Xêro!

A Viajante disse...

Nossa pra lhe falar a verdade nunca tinha pensado por esse lado, mas acho que quando se ama intensamente, luta-se pela vida e morre lutando por ela, pra viver junto e alcançar a liberdade de amar. Se eu sentisse esse amor faria isso, lutaria como em titanic... Verei o filme, parece ser muito bom!!

Beijos ótimo texto!

Cristian disse...

Oi...
Rosa...

Não tenha dúvida! Teria coragem sim!

...teríamos.

Bjs, querida.