segunda-feira, 21 de março de 2011

Apto a apagar qualquer tipo de fogo


Fiz curso de bombeiro e agora estou apto a apagar qualquer tipo de fogo: em madeira, em eletricidade, fogo no mato, num carro quando o motor esquenta demais e as labaredas atingem o capô, num acidente de trânsito ou até mesmo se cair um avião, podem me chamar.
Estou apto. Qualquer tipo de fogo. É o que diz o diploma (com validade de quatro anos) e foi o que o instrutor disse quando tivemos seis horas/aulas teóricas e duas horas/aulas práticas.
O funcionamento das leis neste país é muito estranho. No exemplo, qualquer estabelecimento comercial é obrigado a ter extintores de incêndio e no mínimo duas pessoas com curso para manuseá-los de forma correta.

Primeiro o órgão responsável pela fiscalização te faz uma visitinha, aplica um auto de infração, dá um prazo para regularização e a empresa inscreve-se para o curso, mediante pagamento de taxa, evidentemente, recebe o diploma, está capacitado e aí, tudo cai no esquecimento. A taxa já foi cobrada, o órgão tem algum dinheiro para seu sustento, o alvará é expedido sem novas vistorias e pronto, por um bom tempo não há mais visitas, não precisa revisar os extintores até que a verba acabe e novas medidas urgentes hão de ser tomadas, mas aí eu vou mostrar o meu diploma. Estou apto, e foram eles que atestaram, a apagar qualquer tipo de fogo... 

2 comentários:

Tatiana Kielberman disse...

Paulo querido!

Adorei... original e irreverente como sempre!

Beijo grande!!

Sil Villas-Boas disse...

Paulo
Que crônica interessante, rsrsr. Agora já posso comentar que tenho um amigo bombeiro e também poeta, rsrsrs.
Bjussss
Sil