sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Pequenos Prazeres - Sil Villas-Boas
















Durante as minhas ausências, dedico-me à tarefas que me dão prazer:
Sentir a leveza das borboletas
Sentir um beijo de chuva
Sentir nos pés a areia morna da praia, num belo fim de tarde.
Sim, são coisas pequeninas,  mas  elas oferecem-me uma enorme paz.  

7 comentários:

Cláudia Costa disse...

Pequenas coisas tão grandiosas...
E você tão linda e grandiosa poetisa.

Sil, sou muito fã da tua palavra, da tua existência poética.

Beijoca no coração lindo.

Van disse...

Sei não, mas acho que são grandes Sil.
Tão grandes quanto a sua sensibilidade e beleza.

Um beijo Sil, curta bem as suas pequenas grandes coisas

João Ludugero disse...

Querida Amiga SIL,
Boa noite!
Gostei tanto do seu texto que, a partir dele, teci "Fascínio", minha a postagem de amanhã.
A você dedico este meu poema).

Obrigado, por haver me inspirado tanto. Espero que goste. Mega abraço e um ótimo fds!
João Ludugero.

RosaMaria disse...

E que sua ausência não se prolongue. Por a saudade tem braços, e aperta muito.

Fica com Deus.
Beijos!

Luna Sanchez disse...

Até ausente é linda!

=D

Um beijo, querida.

Tatiana Kielberman disse...

Sil, querida...

Já comentei que não gosto da sua ausência, pois você faz grande falta!

Mas entendo quando isso precisa acontecer, já que também tenho meus momentos de sumiços e outras atividades...

A vida é assim, essa roda-gigante meio maluca... Cabe a nós o ato de fazer com que ela não nos atropele!

Que bom que você pode curtir pequenos grandes detalhes como esses descritos no post...

Continue assim, preservando sua alma de estrelas!

Beijo carinhoso!!

Olho no olho. disse...

É no simples que a vida se revela!