sábado, 15 de dezembro de 2012

MÃE: TERNA PRESENÇA, por João Maria Ludugero


Minha Mãe, doce e eterna presença,
A Senhora sempre estará comigo, 
acordado ou dormindo sinto teu perfume,
teu amor solene a bater no meu peito...
E sempre entras porque não precisas pedir licença.
No burburinho do dia-a-dia, 
no chamamento da lida,
diante da mesa farta, nas horas de lágrimas
nos momentos felizes, no sorriso aberto,
no café da manhã, na poesia do papel de pão,
na luz da prece, na proteção de cabeça,
a Senhora está do meu lado, anjo guardião da noite.
E o medo não existe e não há solidão.
A Senhora me acalma onde os olhos anseiam
E tua terna presença aquece naturalmente 
como acontece num retorno de mãe... 
E a dor logo desaparece com um beijo teu
e o sono logo vem...
Ó, bendita Senhora, mesmo sabendo
que não mais vais voltar, nunca deixo
que me abandones o coração partido.

Nenhum comentário: