domingo, 29 de dezembro de 2013

MAGIA QUE RELUZ EM PÓ DE ESTRELAS, por João Maria Ludugero

 
 
  
 
 
MAGIA QUE RELUZ EM PÓ DE ESTRELAS,
por João Maria Ludugero. 

Da cartola o Ludugero mágico 
Retira coelhos e pássaros, 
Desata nós de lenços em anis-estrelado, 
Sem cortar asas nem laços, 
Enxuga águas de lua pingente 
Doma a ursa maior, descostura 
Os fios da meada do impossível, 
Acende com cautela uma surpresa 
A cada passo fora da constelação. 
E logo o inteiro vira meio, 
Segredo a sete chaves 
Guardado no cofre de seda do coração. 

A pomba gira esvoaça rasante, e some. 
O circo todo vira magia em flor, 
A vida entra em transe, 
Fazendo o circo do céu brilhar 
Na dança das estrelas cadentes... 
E com a cauda de um cometa faz a festa 
Alumiando a via-láctea, de pura alegria, 
Soltando um punhado de purpurina 
Só pra mostrar como reluz o mundo da lua. 

E volta ao chão o mágico das horas 
Sem dar adeus nem largar mão 
Do admirável condão da poesia.

Nenhum comentário: