segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

LUDUGERÁVEL ROJÃO, por João Maria Ludugero

LUDUGERÁVEL ROJÃO,
por João Maria Ludugero.


Eu sou formidável rojão obrigado a uma sensata dose de equilíbrio 
De estar dentro do meu corpo animado, ao avanço do sol amar-elo 
Só para transbordar da minha alma bem apanhado aos solavancos. 
E num estrondo, num célere estouro, 
Quebro, catapulto pedras, sacudo a poeira,
Palpito, tremo ao extremo engenho, 
Esbugalho-me ao vento, disparado sem carecer de munição,
Violo o vapor em explosão, perco-te arteiro em achados ciclos, 
Circundo-te ao desvão, vivo-te, rompo e fujo, com todo o vigor da lida, 
Sou com o meu corpo todo o mundo e a vida inteira, dentro e alto, 
Transbordo do ente com todo o meu ser em todas as luzes e lumes, 
Arrisco com toda a minha alma todos os relâmpagos e fogos acesos,
Sobrevivente em minha vida em todas as direções, dia-após-dia! Zás!
Agora se resvala no ar toda essência do meu mais precioso perfume...

Nenhum comentário: