domingo, 2 de fevereiro de 2014

VÁRZEA-RN: PELAS RUAS DAS ACÁCIAS DE SÃO PEDRO, por João Maria Ludugero

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
  
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
VÁRZEA-RN: PELAS RUAS DAS ACÁCIAS DE SÃO PEDRO,
por João Maria Ludugero

Paradeiros da Várzea das Acácias.
Cai a tarde amena que me nina 
Sob as madeixas do arrebol
Com um azul de nuvens esfiapadas,
E a noite, enluarada, enroscada ao sol.

No fio da meada do meu olhar além do horizonte,
Eu, poeta, amante desse pedaço de chão potiguar,
Guerreio da paz e do amor, solto diante da sentinela 
De São Pedro Apóstolo, desponto as memórias da lida, 
conduzido ao crepúsculo que se esconde sob o açude do Calango.

Aceso, o céu lembra um cenário varzeano,
Saudades balançam nos anéis da estrela Dalva,
Ala do encanto, ala ao mundo interior do poeta João Ludugero.

E o instante é de ouro. Corre, escorre pelas veias vertentes...
E as estrelas são arteiros meninos levados da breca
Que ostentam candeias revigoradas de ávidos lumes 
Em redor dum palco que se alastra a ganhar o mundo
Desde o sítio do Vapor de Zuquinha!

Nenhum comentário: