quinta-feira, 6 de março de 2014

LUDUGERÁVEL, por João Maria Ludugero

 
 
 
 

LUDUGERÁVEL, 
por João Maria Ludugero 

Eu
Eu quero 
Eu quero estar 
Desatado em nós sem quebranto 
Eu quero estar no teu viço agora 
Eu quero estar na tua vertente 
Eu quero estar no teu alpendre 
Sem horas para me encontrar 
Sem horas astutas 
Sem horas no caos 
Sem horas de manjar 
Eu quero estar na tua rua agora 
E ter o amor bem mais animado 
Eu quero ser sério e brincar de Ludugerar 
Muito além do horizonte que me faz clarão 
Dentro e alto da tarde amena que me nina ao laranja 
E me eleva a ganhar a radiante estrela Dalva 
Que me arrasta pra fora da penumbra do desvão 
Dentro da meia-noite em muito mais da meia-hora 
E até me assanha os pelos da venta 
E até me arranha o céu da boca 
Quando eu bem-te-vejo contente 
A esvoaçar pelos ávidos canteiros, 
Arredando-me 
A ser muito mais 
Que 
Apenas 
Um sanhaço 
só!

Nenhum comentário: