domingo, 9 de novembro de 2014

VARZEAMAR-SE? por João Maria Ludugero

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
VARZEAMAR-SE?por João Maria Ludugero

Então, digo, apesar de tudo, a sós comigo:sei porque varzeamo. Alvoreceu.A Várzea é de verdade. Sim, sim, tem o Vapor de Zuquinha,a caminho das Novas Esperanças de dona Tonha de Pepedo.É a seara palpável de Ângelo Bezerra, de Seu Tida e do Maracujádas pitangas, seriguelas, tamarindos, cocos verdes e cajás-mangas.
Varzeanidade é a palavra que, ela sim, ramifica e enraíza uma pessoa.Ela enlaça, abraça; sem encabrestar, mastiga um alguém nunca estiado a si mesmo, tudo para novas Formas, Seixos, Umbus e Ariscos pelo chão-de-dentro espairecido.
Estas palavras são para criaturas que se autorizam a estarem em constantes aprendizados, molduras. maneiras. vivências, eiras, leiras e beiras até correr dentro e alto pelo agreste verde da Várzea das Acácias.Então, agrestar-se não é sinônimo de varzeamar-se?


Nenhum comentário: