quinta-feira, 9 de junho de 2011

Olhares

Por: Sil Villas-Boas




Outros olhares se fazem em mim.
A buscar por ruas desconhecidas
A correr atrás do arco-íris
A per(cor)rer a cor da íris da alma 
E retocar os meus esboços rascunhados

Sofrer dores não foi querido
Sentir cheiros, foi escolhido
Desfrutar sabores, permitido
Mergulhar nos escuros e d(t)ensos pantanais...
Modelou-me os traços inacabados

Sou apenas a metade do que não fui
A parte que falta, ainda falta
E se deteriora, se desmancha 
Se aparta e se farta sem mim

8 comentários:

Nina Pilar disse...

que beleza sil,

ótimo texto...

uma linda quinta, luz, paz e amor!

beijo

! ✿ Stayinmyarmsifyoudare disse...

Qué belleza!

RosaMaria disse...

Somos feitas de tantas metades, que me perco em qual delas que manda mais em mim.

Lindo Sil.

Beijos

João Ludugero disse...

Querida Sil,
Boa tarde!

E assim somos pois um todo inacabado em movimento,
numa busca sem fim.
Porque o bom da vida é
a trajetória necessária à essa inteireza.

No caminhar é que fazemos as mudanças, trocamos as vestes, retocamos a alma, aqui acolá, podamos as roseiras, colhemos nossas flores, aprendemos com os espinhos...
E é justo nessa troca, que ganhamos de presente o maior aprendizado permanente:
Amar sem cobranças.

Assim, aprendemos a olhar... e vemos!
Belo texto.
Abraços,
João, poeta.

ROSANA VENTURA disse...

"Sou apenas a metade do que não fui..."

Nossa, intenso e lindoooooooooooo Sil!!!
bjossssssss

Tatiana Kielberman disse...

Isso é lindo demais....

Beijos, querida!

Paulo disse...

Estes olhares que te cercam e nos cercam por onde vamos...

Lindo Sil, minha poeta.

Cláudia Costa disse...

Que lindo Sil.

Não li no Retratos, vim ler aqui...lindo, lindo e muitíssimo coerente.

Adorei.

Bjs,

Cláu