domingo, 15 de dezembro de 2013

LUDUGERO INTEIRO, PRA SER SINCERO, por João Maria Ludugero

LUDUGERO INTEIRO, PRA SER SINCERO,
por João Maria Ludugero.

Depois de tantos sóis,
Não fico só de manjar ou cubar a lida,
Mas amores pela metade não me satisfazem, 
Meias amizades não me convencem,
Um quase sorrir não me contenta, 
Um pouco de paz não me tranquiliza,
Estar perto não diz que cheguei,
Não exagero no faz-de-conta,
Sou Ludugero desde que me entendo
Por Ludugero, mas se "foi por um triz" 
Não me consola o sonho meio acordado.
Eu não me dou em esbugalhados pedaços, 
Não almejo meias esperanças renovadas, 
Nem careço de ser feliz pela metade.
Não quero meias palavras, 
Não aprecio meios termos, 
Não quero meias verdades
Se for pra ser, que seja por inteiro,
Até a meia-lua!

Nenhum comentário: