terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

FUGACIDADE, por João Maria Ludugero

FUGACIDADE,
por João Maria Ludugero

Não é só de manjar ou cubar a lida,
Dia-após-dia é mais evidente que partimos
Sem nenhum possível regresso no que fomos,
Cada dia as horas se despem mais do encantamento:
Há desvario de saudades de um amor tecido ao desvão 
Que não bastou, pois largou o coração que jaz partido.
A fugacidade da vida não permite aos solavancos
Que percamos nosso tempo com ninharias.

Nenhum comentário: