terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

VÁRZEA-RN: CHAMA AO INTERIOR, por João Maria Ludugero

 
 
 
VÁRZEA-RN: CHAMA AO INTERIOR,
por João Maria Ludugero

Eu quero o sabor da minha Várzea,
A simplicidade que nada me cobra.

O alimento vindouro, que a gente espera,
Cultivamo-lo com fé de sobra.

Eu quero da cantiga a beleza potiguar,
Que outras vogas não entendo.

Minha janela tem perfume e lume floral,
Minha cerca de melões de São caetano
É sem remendo, tem iridescência tal.

Não venha me cantar outros mundos,
Não creio em matar a sede do outro lado.

Aos solavancos, avanço a caminho do sol
A minha lua renasce nos fundos
Do meu quintal em solo arado.

Nenhum comentário: