quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

SEARA DE JACAS, por João Maria Ludugero


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
SEARA DE JACAS,
por João Maria Ludugero.

Não é só de manjar,
Mas já cai a jaca, aqui
Dentre fruta-pão e carambola
Cai já cá, acolá na esquina...
Jacaré! Jaca a ré ou não?
Jaca... na varanda ao léu
Ué! Fico de cubar a lida
Jacarandá ou não dá?
Ah, sei lá, põe no alguidar 
Juca viu a jaca à toa em bagos
Ao céu desabar numa boa...
E fincou o pé na jaca
Que delícia esse jirau
Repleto de jaca mole
Repleto de jaca dura
Não é só de manjar,
Mas já cá perdura a safra 
Na seara potiguar- Já?!?!

Nenhum comentário: