terça-feira, 7 de janeiro de 2014

CONSENTIMENTO, por João Maria Ludugero

 
 
 
 
 
 
 
 
CONSENTIMENTO,
por João Maria Ludugero

Não só de manjar na lida,
Que o breve se alongue
Seja de um longo pensar
Que o longo se eleve
Dentro e alto, ao avanço do sol
Amar-elo aos solavancos
Dentro das solenes estripulias
Que tudo seja ensejo de um curto sentir
Que tudo seja assim leve
De tal forma consentida
Que o tempo nunca leve.

Nenhum comentário: